História do Projeto Bagagem

O Projeto Bagagem é uma ONG cuja missão é fomentar o turismo de base comunitária como ferramenta para valorização e desenvolvimento sustentável do turismo no Brasil. Nasceu em 2002 do sonho de duas amigas de faculdade Cecília Zanotti e Mônica Barroso em transformar o mundo através de viagens solidárias e envolveu centenas de pessoas ao longo de sua trajetória.

Com a missão de levar desenvolvimento sustentável às comunidades por meio do turismo, a ONG realizou muitas viagens de experiência nestes quase 2 décadas de vida. O Projeto Bagagem também executou diversos projetos, valendo a pena destacar: Formação em Turismo Comunitário em Juréia, Santos e na Rede Cananéia (SP) e Instituto Rosa e Sertão (MG), Projeto de Desenvolvimento do Grãos de Luz e Griô (BA) e Turismo Comunitário como Alternativa de Geração de Renda para as Comunidades Caiçaras da Ilha do Araújo e Trindade em Paraty (RJ).​

Logo que foi criado, há 18 anos, o Projeto Bagagem estava focado na realização de viagens solidárias para diversas comunidades, sobretudo na Amazônia. Após algumas oportunidades de conviver e se encantar com a simplicidade do modo de vida e a natureza exuberante da região, Cecília e Mônica se perguntaram por que o turismo de base comunitária não é usado com maior frequência em nosso país, já que a atividade proporciona uma experiência de vida única para o turista e uma forma sustentável de geração de renda para o local.
 

Foram 29 grupos envolvendo 287 turistas. Alguns anos depois a ONG assumiu também o papel de fomentar o desenvolvimento dessas comunidades através da implementação de projetos em todo o Brasil, com destaque para Chapada Diamantina-BA e Paraty- RJ. No edital para fomento ao Turismo de Base Comunitária do MTur (2008) o Bagagem captou recursos para fomento à Rede Brasileira de Turismo Solidário e Comunitário (TURISOL) que existia desde 2003, mas não tinha ainda realizado um encontro próprio. O I Encontro Turisol foi realizado na Bahia em 2010 e neste ano a ONG também editou 7 publicações com informações do próprio Projeto Bagagem e das 06 iniciativas mais atuantes na Rede naquele momento: Rede Tucum, Acolhida na Colônia, Saúde e Alegria, Fundação Casa Grande, Pousada Uacari e Aldeia dos Lagos.

 

Com a saída de Mônica e depois de Cecília por questões profissionais e pessoais, o Bagagem ficou por um tempo sendo liderado pela então colaboradora Bárbara Muñoz. Com o encerramento dos projetos que estavam em andamento, o Bagagem teve um período de inatividade até ser retomado em 2014. O primeiro modelo de retomada foi uma investida da Raízes Desenvolvimento Sustentável no mesmo modelo em que havia gerenciado outras organizações do terceiro setor como a Aliança Bike, a Abramas, a RedeJur e ABETA, esta última também no setor do turismo. Durante o período de agosto de 2014 a dezembro de 2015 o negócio social buscou fontes de manter a ONG através de ações patrocinadas, mas apesar de avanços como a realização do II Encontro Turisol, o modelo não se mostrou sustentável no longo prazo.

Uma nova diretoria assumiu a ONG com a missão de reativar a Rede e realizou em Brasília o II Encontro Turisol (2015) com mais de 180 participantes de todas as partes do Brasil, consolidando o Projeto Bagagem como um importante ator na aglutinação das iniciativas e parceiros do turismo de base comunitária.

 

O Projeto Bagagem foi considerado um negócio social inovador pelo Global Development Network (2006), venceu o prêmio Seed Awards da ONU (2007), conquistou financiadores como Kellog Foudation, Ashoka, Tam e Ministério do Turismo, representou o Brasil em eventos do setor na África do Sul (2007), Guiana (2011) e Nicarágua (2014).

 

Em uma nova fase, o Projeto Bagagem pretende hoje ser um espaço de compartilhamento de sua própria história e experiências e, sobretudo, de aglutinação de conteúdos, comentários e conhecimento dos mais diversos atores envolvidos e interessados pelo turismo de base comunitária. Aglutinação, compartilhamento, constante co-criação. Nosso novo objetivo é estimular a inteligência coletiva no turismo de base comunitária brasileiro, integrando-o com o que há de melhor em outras iniciativas e grupos pelo mundo.

Nesta nossa nova fase do Projeto Bagagem, a nossa diretoria busca recursos para desenvolver ações para fortalecer ainda mais a nossa rede do turismo de base comunitária no Brasil, como: 

  • Realizar os encontros anuais da Rede TURISOL

  • Participar de eventos nacionais e internacionais para dar visibilidade ao nosso TBC

  • Desenvolver estratégias de intercambios entre os destinos consolidados e as iniciativas de projetos do TBC

  • Aproximar agencias, operadoras de TBC com receptivos e comunidades anfitriãs

  • Estabelecer fóruns de discussão com Universidades e Instituições relacionadas ao trade do TBC.

 

Representantes de iniciativas comunitárias, ONGs, governos, operadoras, empresários e acadêmicos: Sejam bem-vindos!